Por favor utiliza este link para citar o compartir este documento: http://repositoriodigital.academica.mx/jspui/handle/987654321/380282
Título: Arthur Schopenhauer e Ludwig van Beethoven: sobre a capacidade de expressão na música
Palabras clave: Arte
Música
Filosofia
Linguagem
Schopenhauer
Beethoven
Editorial: Universidad Distrital Francisco José de Caldas
Descripción: No decorrer do trabalho, procuraremos evidenciar a posição de Schopenhauer sobre os conceitos de Representação e Vontade. Analisaremos sua estética observando a relação hierárquica existente entre as belas artes e a capacidade residente em cada arte de expressão da essência íntima do mundo, chegando à música, como arte que nos transmite o em-si do mundo. Partindo daí, tomaremos como referência o compositor clássico/romântico Beethoven e a 6ª Sinfonia em Fá Maior , Op. 68-Pastoral, mais especificamente o IV movimento - Tempestade (Gewitter Sturm). Apontaremos, portanto, a ideia de que a obra de arte beethoveniana nos conduz ao que é nomeado por Schopenhauer como sentimento estético e que nos vem sempre através de uma intuição pura, devendo ser interpretado como um sentimento metafísico, uma vez que nele o intelecto atinge o nível de contemplação estética, o que implica o mergulho do sujeito cognoscente dentro do objeto conhecido, ao qual se funde.
Other Identifiers: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=87417258008
Aparece en las Colecciones:El Artista

Archivos de este documento:
No hay archivos asociados a este documento.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.